Desde 2010 |Referência em Pole, Aéreos, Dance e Acrobacias

(11) 3032.0000 - Av. Jabaquara, 245, Mirandópolis,

Metrô Praça da Árvore / Metrô Santa Cruz (Saúde / Vila Mariana) 

PARA ESTACIONAR (CONVÊNIO):

-R&R Estacionamento - Av. Jabaquara, 476

September 7, 2016

Please reload

Posts Recentes

Não se esqueça da ponta de pé!

October 6, 2016

1/2
Please reload

Posts Em Destaque

Não se esqueça da ponta de pé!

October 6, 2016

Com o dia a dia corrido, pole dance se torna praticamente um alívio, uma válvula de escape necessária para os praticantes do esporte. Mas se tem uma parte difícil da aula - às vezes até mais desafiadora que as inversões mirabolantes e figuras áreas – é a famosa, a querida, a amada e menosprezada ponta de pé. E bota menosprezada nisso!

 

“FAZ PONTA DE PÉ! ”, “OLHA O PÉ DE PATO! ” ou “OLHA ESSE PÉ FEIO! “- estou para conhecer uma pessoa que nunca ouviu algo parecido em aulas de pole dance, porque até bailarinas e bailarinos que fazem pole cometem esses deslizes com os pés durante as aulas.

 

Como a maioria dos aprendizes do pole dance, sempre invento de gravar uma sequência treinada em aula ou tirar fotos de algum movimento para poder me lembrar e praticar depois. Não foram poucas as vezes que começava a gravar e: opção A – a amiga com a câmera na mão berrava um FAZ-PONTA-DE-PÉ e eu, quase caindo da barra, tentava acordar meu pé flex de um sono profundo; ou opção B – executava os movimentos e saia da barra confiante até ver o vídeo/foto e TCHAN! Via minha ponta de pé sofrida e feiosa. Tentava então repetir e repetir o movimento, mas a bendita pontinha não ficava como eu queria.

 

Se esse meu minidrama também for o seu minidrama, não é motivo para desespero! Afinal, ficamos tão concentrados em executar um movimento (geralmente de ponta cabeça) com travas específicas, de muita força ou flexibilidade – que a ponta de pé é a última coisa da qual vamos nos lembrar. Sad but true.

 

Na verdade, como muitos instrutores de pole dance reforçam, ponta de pé também é treino, e deve ser um treino constante. Ênfase no constante aqui: pense nas bailarinas e ginastas olímpicas, elas treinam por anos e praticamente todo dia, toda essa dedicação não só para melhorar a performance como um todo, mas também para fortalecer e estimular a flexibilidade nos músculos do pé. Vale lembrar que elas ainda correm o risco de instrutores criticarem suas pontinhas perfeitas e pedirem para que se esforcem mais.

 

Ou seja, a ponta de pé não vai sair do dia para a noite, de uma aula de pole para outra, trata-se de um exercício que traz resultados a longo prazo, e para isso, é preciso insistência e paciência. Vou além no caso do pole dance, porque fazer a ponta de pé pode ser um treino psicológico também – pensar em arrumar os pés enquanto está invertendo ou girando não é tão simples, é uma consciência corporal que precisa ser trabalhada – tanto ao executar movimentos, quanto por ouvir os alertas dos instrutores durante a aula (agora você entende o porquê o professor de pole pega literalmente no seu pé, né? <3).

 

Vale lembrar também que há alunos que tem maior ou menor dificuldade para fazer ponta de pé – não importando o nível em que estejam no pole dance. Aliás, o professor de dança e bailarino Marcus Kampos, que é idealizador do (incrível) grupo de dança STEP UP BRASIL, comenta que para pole dancers a ponta de pé é, de fato, uma das principais dificuldades, já que alguns podem por exemplo ter praticado outras danças ou esportes antes e outros podem nunca ter praticado nada (e isso não quer dizer que tem a ponta de pé menos trabalhada!)

 

Independendo da sua consciência corporal e seu timing de evolução, o importante é insistir na ponta de pé! Além de ser esteticamente bonita em performances, ela pode até ser critério de desempate em campeonatos de pole. Além disso, pontinhas são bem-vindas não só no pole dance mas em qualquer modalidade de dança, artes circenses ou ginástica, viu?

 

Para cuidar bem das suas pontas de pé, o queridíssimo Marcus recomendou alguns exercícios. Deixarei aqui em baixo os vídeos para você caso precise, como eu, deixar as pontinhas mais bonitas. O Marcus também ressaltou que existem diversos exercícios para a ponta, mas esses são os ideais porque podemos fazer em qualquer lugar e sem equipamentos específicos. 

 

“O ideal é fazer um pré-aquecimento antes, com movimentos rotatórios dos pés para a esquerda e direita, além do exercício de ponta e flex. Depois, repetir os exercícios nos vídeos: 3 séries de 20 cada um. ” O professor também aconselha a manter os movimentos em ritmo lento, suave, e colocar uma música de sua preferência.

 

Agora chega de papo! Segue aí o “Projeto Ponta Perfeita” que o Marcus preparou para você, junto com a bailarina Laís Barbieri. 

 

 

EXERCÍCIO 1

 

 EXERCÍCIO 2

EXERCÍCIO 3

 

Eu já dei largada nesses exercícios e estou vendo diferença em uma semana de prática! :)

 

Aliás, conselho de amiga? Treine-os sempre que possível, aposto que em um mês já vai ter uma ponta de pé de dar inveja! <3